Carro sem mistério

Isofix: o que é e para que serve?

Isofix (divulgação)

De uns tempos para cá um termo passou a ser comum nos anúncios e matérias sobre carros. São os bancos com sistema de fixação de cadeirinhas conhecido pelo nome Isofix. Mas você sabe como esse sistema funciona? E quais modelos têm de série?

  • O que é o Isofix?

É um dos sistemas mais seguros de fixação de cadeirinhas de bebês e crianças do mundo. O sistema permite que as cadeirinhas sejam presas diretamente na parte inferior das costas do banco do carro. Geralmente o sistema fica nos bancos traseiros de alguns modelos, sendo um de cada lado.

O Isofix surgiu a pedido da Volkswagen para a empresa Britax Römer  (especialista em sistemas de segurança infantis) para criar um sistema de fixação de cadeirinhas infantis para o Golf IV. O sistema nasceu como uma resposta às limitações dos sistemas de segurança da época, mais concretamente para controlar o efeito chicote nas batidas frontais e o deslocamento lateral nas batidas laterais.

Deve ser levado em conta que mesmo estando o cinto bem ajustado ao corpo, pode- se criar um folga grande entre ele e a cadeirinha. As normas norte-americana e europeia fizeram com que os fabricantes se preocupassem mais pela segurança infantil, e tornaram o sistema do Isofix popular.

Isofix (divulgação)

Em algumas minivans é possível encontrar ancoragens Isofix para cada um dos passageiros dos bancos, com opções de até três ou mais pares de ancoragens por carro. Em alguns casos, elas estão escondidas atrás de capas removíveis, mas sempre haverá uma indicação “Isofix” no assento para ajudar a encontrá-las.

  • O que preciso verificar antes de comprar uma cadeirinha com Isofix?

Antes de mais nada, é preciso verificar se o seu veículo tem o sistema de Isofix no banco traseiro. Geralmente eles ficam entre o encosto e o assento do banco traseiro. Depois, confira se o veículo possui uma alça metálica superior, chamada top-tether, localizada atrás do encosto de cabeça ou nas costas do banco.

Isofix (divulgação)
  • Posso importar cadeirinhas do exterior?

Sim, por conta do alto custo de alguns modelos à venda no país, as vezes sai mais vantajoso importar um modelo do que comprar um em lojas especializadas. Mas é preciso tomar algumas precauções antes de comprar. A primeira delas é que se o modelo vier da Europa, que também usa por padrão o Isofix, pode importar sem problemas. Já no caso de importações dos Estados Unidos, o padrão por lá atende pelo nome de Latch que não é compatível com os sistemas de Isofix dos modelos nacionais.

Isofix (divulgação)
  • Quais são as diferenças entre o Isofix e o Latch?

A maior diferença entre os sistemas Isofix e Latch está nas presilhas que prendem as cadeirinhas nas barras do banco traseiro. No sistema Isofix, as presilhas são fixas e rígidas, enquanto no sistema Latch as presilhas estão em duas tiras flexíveis.

Latch (divulgação)

O sistema Latch conta sempre com três pontos de ancoragem. Além das duas presilhas de baixo, há uma terceira na parte superior, a fixação top tether. No final, o sistema é semelhante à fixação de cadeirinhas que usam o padrão Isofix com a terceira presilha em vez da perna de apoio.

  • Todos os carros possuem esse sistema?

Não. Desde que o Inmetro incluiu o Isofix em 2014 como um sistema de segurança de cadeirinhas infantis, as montadoras passaram a oferecer esse sistema em alguns dos seus modelos.

Isofix (divulgação)

Já os modelos mais antigos fabricados por aqui não oferecem esse sistema, o que deixa a fixação das cadeirinhas infantis apenas presas por cintos de segurança, o que segundo alguns especialistas não é o jeito mais seguro de levar crianças pequenas no banco de trás. Já em modelos importados, o sistema é mais comum, uma vez que segurança acaba sendo um item fundamental em países desenvolvidos e projetos globais.

  • Quais modelos possuem o sistema Isofix?

Como dito anteriormente, apenas carros mais novos possuem esse sistema. Veja abaixo uma lista com as 10 marcas que oferecem o sistema a venda no Brasil:

Hyundai: Toda a linha HB20, assim como o extinto hatch médio i30 oferecem o sistema Isofix.

Hyundai HB20 2019 (divulgação)

Renault:  O subcompacto mais vendido atualmente da Renault, o Kwid conta com o sistema.

Renault Kwid (divulgação)

Fiat: O hatch Argo assim como sua versão sedã o Cronos oferece o sistema Isofix.

Fiat Argo (divulgação)

Chevrolet: Dentre os modelos mais populares, o sedã Cruze, o SUV Tracker e o esportivo Camaro oferecem o sistema.

Chevrolet Cruze (divulgação)

Volkswagen: Aqui a gama é uma das maiores, pois a Volkswagen é a empresa que mais se preocupa com segurança. Modelos como up!, Polo, Golf, Passat e o recém chegado T-Cross oferecem o sistema.

Volkswagen UP! (divulgação)

Ford: O SUV EcoSport, assim como o Fiesta e KA oferecem o sistema Isofix.

Ford EcoSport (divulgação)

Toyota: Uma das marcas mais queridas do público brasileiro, dispõem de modelos como o sedã Corolla, além da picape Hilux com o sistema.

Toyota Corolla (divulgação)

Honda: Assim como sua conterrânea japonesa que preza pela segurança, a Honda oferece Isofix em todos os modelos a venda no país.

Honda Fit (Divulgação)

Peugeot: O hatch compacto 208 também oferece o sistema Isofix.

Peugeot 208 (divulgação)

Suzuki: Não tão popular quanto Honda e Toyota, a Suzuki oferece em toda sua gama, o sistema Isofix.

Suzuki Jimny Sierra (divulgação)
  • O sistema vai se tornar obrigatório?

Sim. Assim como ocorreu em 2014 com a obrigatoriedade dos freios ABS e AirBags duplo, uma resolução do Contran – a Resolução Nº 518/2015 – “estabelece os requisitos de instalação e os procedimentos de ensaios de cintos de segurança, ancoragem e apoios de cabeça nos veículos automotores”.

Isofix (divulgação)

A obrigatoriedade de possuir a ancoragem no padrão Isofix ou Latch consta no item 3.4.2 do anexo I da resolução. Veja:

“3.4.2 – Os automóveis, camionetas, e utilitários deverão possuir ao menos uma ancoragem inferior ISOFIX e uma ancoragem do tirante superior ISOFIX ou uma posição LATCH para fixação de um dispositivo de retenção de criança em um dos assentos do banco traseiro, com ancoragens em conformidade com a norma ABNT NBR 6091 vigente.”

Segundo o artigo 2º da resolução, essas regras passam a valer para novos projetos de veículos produzidos aqui ou importados, três anos a partir da sua data de publicação – ou seja, 29 de janeiro de 2018.

A regra vai valer apenas para veículos novos, deixando os antigos a essa lei, sem essa obrigatoriedade. Para os demais automóveis, as novas regras do Contran passam a valer a partir de 29 de janeiro de 2020.

Siga a Jocar

Acompanhe nossas redes sociais!

Video

Fusíveis automotivos - para que servem e como trocar