Carros inesquecíveis

Civic, o sedã que rejuvenesceu sua categoria

Honda Civic (divulgação)

Com mais de 20 anos de estrada, o Honda Civic sempre apostou em conforto, segurança e tecnologia para se manter jovem e atraente para o mercado. Com 10 gerações e com mais de 600 mil unidades vendidas, o Honda Civic mostra o quanto ele evoluiu e continua evoluindo. Assim como outros importados, o Honda Civic chegou ao Brasil em 1992 quando o governo abriu as portas para as fabricantes estrangeiras.

Honda Civic (divulgação)

As primeiras versões do Civic eram importadas dos Estados Unidos e já estavam na quinta geração do modelo. Essa “primeira geração” tinha o design bem característico dos anos 90, com suas janelas grandes, e faróis e lanternas mais amendoados e compridos, além de motores 1.5 ou 1.6. Essa geração foi responsável por popularizar o Civic, e fazer com que a Honda decidisse investir numa fábrica no país.

Honda Civic (divulgação)

Certa do sucesso do Civic, a Honda começou a construir sua fábrica em Sumaré (São Paulo) e de lá saíram as primeiras unidades nacionais já em 1997. O Civic nacional era equipado com um  motor 1.6 de 16 válvulas a gasolina que tinham calibrações diferentes: SOHC que rendia 106 cavalos, ou a VTEC (comando variável na admissão), que gerava 127 cavalos. O câmbio podia ser o manual de 5 velocidades ou automático de quatro marchas.

Honda Civic (divulgação)

Nos anos 2000, o Civic apostou numa nova carroceria com ar conservador. A dianteira contava com faróis maiores e mais afilados, enquanto que a traseira contava com lanternas maiores. A motorização também evoluía e agora passava a ser apenas o 1.7 litro de quatro cilindros que podia gerar 115 ou 130 cavalos. Foi nessa geração que o Civic estreou também o assoalho plano, que garantia mais conforto aos passageiros do banco traseiro.

Honda Civic (divulgação)

Até aí o modelo tinha vendas respeitáveis mas nada surpreendentes. Apenas em 2006, quando a Honda apresentou o “New Civic”, o sedã enfim mostrou a que veio. Ela apostava num design mais aerodinâmico e formas mais ousadas para a carroceria. Considerado futurista, o New Civic tinha faróis mais afilados, grade com barra cromada e um inédito painel de dois andares.

Honda Civic (divulgação)

A plataforma também era nova e garantia mais espaço e conforto aos ocupantes, mas em contrapartida, o porta malas era sacrificado. Dessa geração tivemos também o novo motor 1.8 flex de 140 cavalos e pela primeira vez em solo nacional, a versão esportiva Si, que usava um motor 2.0 16 válvulas que rendia ótimos 192 cavalos de potência.

Honda Civic (divulgação)

Já a nona geração do Civic, apareceu por aqui em 2011, perdeu o apelo futurista e tecnológico em prol de um visual mais conservador. O estilo muito se assemelhava ao modelo de 2006, mas com novidades nos faróis, grade e traseira. Agora a versão Si, não era mais montada na planta de Sumaré e vinha apenas por meio de importação apenas na versão cupê.

Honda Civic (divulgação)

A Honda se redimiu com a décima geração que foi apresentada em 2016 e, assim como dez anos, atrás apostava num visual moderno e altamente apelativo. Agora o sedã tinha ares de cupê, com a queda mais acentuada em direção a traseira. A dianteira podia contar com faróis 100% LED, e tinha visual mais agressivo.

Honda Civic (divulgação)

As versões de entrada e intermediária ficaram com o motor 2.0 flex de 150 cavalos com gasolina e 155 com etanol. A versão topo de linha Touring, no entanto, estreou o motor 1.5 turbo de injeção direta com 173 cavalos apenas com gasolina.

Honda Civic (divulgação)

Atualmente o Honda Civic recebeu um pequeno facelift que trouxe pequenas melhorias estéticas e novos equipamentos, e está mais do que preparado para receber seu mais antigo rival, o Toyota Corolla, que deve chegar por aqui até o final do ano.

Siga a Jocar

Acompanhe nossas redes sociais!

Video

Fusíveis automotivos - para que servem e como trocar