Curiosidades

Renault Sandero chega a 1 milhão de unidades produzidas no Brasil

O Sandero foi revelado em 2007 (Renault)

A Renault surpreendeu o mercado brasileiro no final de 2007 ao revelar o Sandero, um hatchback derivado do sedã Logan, que havia sido lançado no Brasil no ano anterior. Com um design desenvolvido pela equipe brasileira da marca, o modelo fez sua estreia mundial no país e pouco tempo depois chegou a outros mercados no mundo.

Parecia que a montadora havia errado na mão afinal escolheu um nome que soava como o da picape Saveiro e que parecia a associação das palavras “samba” e “pandeiro”. Além disso, o Logan, projeto de carro barato criado na Romênia para países do Leste Europeu, tinha um desempenho razoável apenas no Brasil. Com um estilo pouco atraente e um acabamento simplório, o sedã não inspirava grande futuro.

Mas, ao usar a barata e versátil plataforma do Logan, a Renault soube criar um hatch que unia um bom espaço interno com um estilo mais aceitável (embora longe de ser um primor). Logo ficou claro que o carro tinha mesmo potencial. No primeiro ano cheio, em 2008, emplacou quase 40 mil unidades, número que beirou 50 mil em 2009, 69 mil em 2010 e que teve seu pico em 2013 quando mais de 100 mil Sanderos foram vendidos apenas no Brasil.

Nos últimos anos, as vendas têm se situado na casa das 60 mil unidades, já na sua segunda geração com projeto mais refinado e estilo bem acertado. E, para quem nasceu de forma surpreendente, agora o Sandero chega à marca de 1 milhão de unidades produzidas em São José dos Pinhais, no Paraná. Destes, nada menos que 258,8 mil foram da versão Stepway com ares aventureiros. Até versão esportiva o hatch já ganhou, a R.S com motor 2.0 de 150 cv de potência. Nada mal para um filhote de um carro que foi pensado em um público que andava de Trabants e de Ladas.

Siga a Jocar

Acompanhe nossas redes sociais!

Video

Fusíveis automotivos - para que servem e como trocar