Carros inesquecíveis

As peruas inesquecíveis do Brasil

Volkswagen Jetta Variant (divulgação)

Desde que o império dos SUVs começou no Brasil, lá no longínquo 2003 com a primeira geração do Ford EcoSport, o saudoso mercado de peruas nacionais e importadas vem caindo a cada ano. Não é de se espantar, afinal hoje a cada 4 carros novos vendidos ao menos um é um SUV.

As peruas, ou station wagons em alguns países, no entanto resistem focadas num público que valoriza uma dirigibilidade mais apurada sem perder espaço para a família.

O blog decidiu relembrar algumas das peruas mais legais que já passaram por aqui, dentre as nacionais e as importadas. E o melhor, algumas delas são mais baratas e mais fáceis de manter do que os SUVs! Veja a seguir a lista com as 20 melhores peruas que já passaram – ou estão à venda – no Brasil na opinião do site.

  1. DKW-Vemag Universal/Vemaguet (1956-1967)

Para quem não sabe, o primeiro veículo a ser fabricado por aqui em larga escala foi uma perua. A DKW-Vemag era montada ainda com peças importadas, mas ainda sim estreava o segmento das peruas no país.

DKW Vemag Universal (divulgação)

A perua da DKW assim como qualquer outros modelos dessa lista, era boa de guiar e apresentava estabilidade inigualável – para os padrões da época – e vinha com tração dianteira. O motor era um três-cilindros em linha, de dois-tempos com apenas sete partes móveis, que rendia 44 cavalos. O câmbio era de 4 velocidades e ficava na coluna de direção.

  1. Chevrolet Caravan SS (1978-1980)

Derivado de um projeto europeu, a Chevrolet Caravan deixou saudades para muitos brasileiros. A versão Caravan do Opala era perfeita para quem buscava espaço interno abundante e motores potentes. Mas em 1978, a Chevrolet decidiu apresentar a versão SS com o potente motor 4.1 que gerava incríveis 171 cavalos e tinha 32,5 kgfm de torque.

Chevrolet Caravan SS (divulgação)

Era sem dúvida uma das peruas mais legais para dirigir nos anos 70 e 80, e ainda por cima era de fabricação nacional. Esse potente motor podia levar a perua a velocidade máxima de 165 km/h e fazer o 0 a 100 km/h em apenas 12,9 segundos. O painel também ganhava uma atenção especial, e contava com conta-giros e volante esportivo, além bela decoração no interior da perua.

  1. Volkswagen Variant II (1978-1981)

A perua que deriva da Brasília que por sua vez surgiu do Fusca, chegou por aqui como uma opção mais “barata” do que a Passat Variant alemã. A ideia original era trazer a Passat Variant, mas na hora de fechar a conta, a Volkswagen decidiu fazer um projeto local de baixo custo. O tamanho da Variant II era semelhante ao da Chevrolet Caravan.

Volkswagen Variant II (divulgação)

A propulsão era realizada por um velho conhecido dos brasileiros, o motor arrefecido a ar do Fusca, 1.5 que rendia 65 cavalos. A perua ainda contava com suspensão dianteira do tipo McPherson, semelhante a que o Passat usava e ainda trazia freios a disco na frente.

  1. Ford Belina 4×4 (1985-1987)

Antes mesmo de a Ford apresentar o EcoSport 4×4, a marca apresentou em 1985 a versão 4×4 da perua Belina, que era derivada do Ford Corcel. A perua se destacava pelo seu amplo espaço interno, assim como as citadas anteriormente e ainda foi a precursora das “peruas aventureiras” que a Fiat por exemplo só lançaria algo assim em 1999 com a Palio Weekend Adventure.

Ford Belina 4×4 (divulgação)

A tração nas 4 rodas ainda estava em seus estágios iniciais, então não era muito raro encontrar algumas peruas com problemas em oficinas mecânicas. Mesmo assim, ela se mostrava valente para o serviço e conseguia levar toda a família para o sítio sem aperto.

  1. Chevrolet Omega Suprema (1993-1996)

Uma das últimas peruas produzidas por aqui – deste tamanho diga-se de passagem – a Chevrolet Omega Suprema era como uma sucessora espiritual da Caravan SS. A vantagem aqui eram as 4 portas, e o novo motor 3.0 que gerava 165 cavalos e 23,5 kgfm de torque, associado ao câmbio automático de 4 velocidades.

Chevrolet Omega Suprema (divulgação)

A Chevrolet Omega Suprema ainda podia carregar 484 litros no porta malas e atingia a velocidade máxima de 192,9 km/h. E ainda fazia o 0 a 100 km/h em apenas 13,1 segundos, nada mal para uma perua nacional.

  1. Volkswagen Parati Turbo (2000-2005)

Uma das maiores concorrentes da Fiat Palio Weekend, a Volkswagen Parati é considerada a sucessora natural da Variant II. Por aqui, a perua derivada do Gol apareceu em 1982 na carroceria de 2 portas, e a partir de 1999 a perua ganhava o mesmo visual da linha Gol e as 4 portas que eram tão requisitadas.

Volkswagen Parati Turbo (divulgação)

Mas vamos focar na versão 1.0 de 16 válvulas com turbo, que era uma das mais interessantes da perua compacta. Numa época onde ainda não se falava tanto em motores turbo, ou com 16 válvulas, a Volkswagen decidiu implementar na linha Gol e Parati esse novo motor que rendia 112 cavalos e 15,82 kgfm de torque. A potência era boa para uma perua da época, e ainda conseguia atingir a velocidade máxima de 191 km/h e fazer o 0 a 100 km/h em 9,8 segundos.

  1. Toyota Fielder (2004-2008)

Uma das peruas mais aclamadas da Toyota, a Corolla Fielder – ou apenas Fielder para os íntimos – apareceu por aqui em 2004, como uma versão mais espaçosa do sedan Corolla. Ela podia vir com câmbio manual ou automático, e ainda carregava todos os elogios que o Corolla recebia na versão sedan.

Toyota Corolla Fielder (divulgação)

Uma das versões mais procuradas no mercado de usados, é a 1.8 com câmbio automático de 4 velocidades. Ela tem 136 cavalos de potência e 17,5 kgfm de torque. A velocidade máxima da perua é de 186 km/h e ela faz o 0 a 100 km/h em apenas 12,7 segundos. O preço no mercado de usados varia entre R$ 18 mil a R$ 30 mil reais.

  1. Volkswagen Golf Variant / Jetta Variant

A primeira geração da Volkswagen Jetta Variant chegou por aqui em 2005 e usava um motor 2.5 que gerava 170 cavalos e 24,5 kgfm de torque. A perua derivada do Golf trocou de geração quando o hatch médio ganhou nova geração.

Volkswagen Golf Variant (divulgação)

Agora chamada de Golf Variant, a perua usava a plataforma MQB e o novo motor 1.4 turbo de 150 cavalos e 25,5 kgfm de torque, além de usar o câmbio do tipo DSG. Agora se você quiser uma Golf Variant, é melhor olhar no setor de seminovos da Volkswagen. A marca decidiu parar de importar a perua do México, devido à baixa procura e também para abrir espaço para o T-Cross, que vai ocupar a faixa de preço da perua.

9. Hyundai i30 CW

Apresentada em 2010, a Hyundai i30 tinha como seu maior argumento de vendas os 23 centímetros a mais de comprimento e 5 centímetros a mais no entre eixos. No quesito visual, a i30 CW era idêntica até as portas traseiras, dali para trás estavam uma nova janela na coluna C e novas lanternas que evidenciavam o maior porta malas.

Hyundai i30 CW (divulgação)

O conjunto mecânico era o mesmo usado no hatch médio, o potente motor 2.0 com seus 145 cv e 19 kgfm de torque, associados ao câmbio automático de 4 velocidades. Na segunda geração do i30, a perua não ganhou uma nova geração, mas na 3ª que estreou recentemente na Europa, a perua agora chamada de i30 SW ganhou mais espaço interno e motores turbo.

10. Fiat Palio Weekend

Lançada em 1999, a perua derivada do Fiat Palio ainda faz sucesso nos dias de hoje. Uma das versões mais conhecidas com certeza é a versão Adventure que também foi apresentada em 1999. A Fiat não tinha ideia de que estaria criando um novo nicho de mercado, e que sua perua resistiria 20 anos.

Fiat Weekend Adventure (divulgação)

Atualmente, é possível encontrar o modelo no site da marca nas versões Attractive com motor 1.4 de 86 cv no etanol e 80 cv com gasolina e a famosa versão que agora atende apenas por Adventure, com seu motor 1.8 de 132 cv com etanol e 130 cv com gasolina. O preço? A partir de R$ 63.990 na versão Attractive e R$ 82.990 na versão Adventure com o sistema Locker.

Sobre o autor

Joquinha

Joquinha

Um comentário

Clique aqui para comentar

Siga a Jocar

Acompanhe nossas redes sociais!

Video

Fusíveis automotivos - para que servem e como trocar