Cuide de seu carro

Curiosidades e mitos sobre rodas

Roda Mercedes-Benz (divulgação)

Uma das coisas mais legais em ter um carro é poder personalizá-lo e deixá-lo com a nossa cara. Para isso existem inúmeros itens que podem ser alterados – dentro da lei é claro. Mas com certeza um dos mais cobiçados e modificado são as rodas.

Rodas de liga leve (divulgação)

Seja por estética, custo ou valor, existem inúmeros modelos de rodas disponíveis no mercado. Mas você sabe qual a diferença entre as rodas de liga leve e as de aço? E quais são suas características principais e mitos? Para responder essas e outras dúvidas, montamos um pequeno guia. Confira:

  • Qual a melhor opção? Rodas de aço ou de liga leve?

Ambas as rodas passam pelo mesmo tipo de crivo de construção. Elas geralmente submetidas às mais variadas e severas condições para testar sua durabilidade e resistência, em todos os tipos de piso, ainda mais por aqui, com nossas ruas e estradas esburacadas.

Roda Chevrolet Trax (divulgação)

Elas passam por testes, como choque térmico, resistência a agentes químicos e salinidade, para testar sua durabilidade. Elas ainda passam por testes de impacto, como subir, bater e raspar em guias e passar em buracos em diversas combinações de velocidade, ângulo e calibragem.

Ou seja, na prática tanto liga leve ou aço são seguras, ficando a critério do proprietário variar de aro, cor e acabamento escolhido pelo cliente na loja ou na concessionária.

  • Rodas de liga leve ajudam a economizar combustível?

A resposta é sim. Por serem mais leves do que as feitas de aço, as rodas de liga leve ajudam o carro a economizar um pouco de combustível pois o veículo necessita de menos força para se locomover. Outro fator relevante é a diminuição de ruídos, tanto em freadas bruscas, quanto em manobras, em relação às rodas de aço.

Combustível (divulgação)
  • Por que as rodas de ferro/aço são mais simples?

Pois o material usado – ferro ou aço – não aceita muitas alterações depois de resfriado. Elas também são mais resistentes a fortes pancadas, quebras ou amassados. Geralmente também são mais fáceis de serem consertadas por conta do desenho mais simples.

Roda de ferro (divulgação)

Como o desenho das rodas de aço/ferro geralmente são bem padronizados, as montadoras gastam mais com desenho das calotas que podem ter os mais diferentes estilos, desenhos, dando assim personalidade à roda e ao carro.

  • Rodas de liga leve tem conserto mais complicado?

Geralmente sim. Em alguns casos é necessário um especialista para fazer a verificação e o reparo de forma que não comprometa a segurança e a durabilidade da roda. Antes de se iniciar um reparo numa roda de liga leve, é necessário submeter a peça avariada a uma série de medições a fim de verificar se o dano não empenou sua zona de contato, região central por onde passam os parafusos.

Roda de liga leve (divulgação)

Em seguida, é feito um exame de ultrassonografia para caçar eventuais fissuras. Somente se aprovada nesses dois passos a roda é liberada para conserto. No caso de uma roda de aço/ferro, o custo de reparo se equipara ao preço de uma nova, não ficando vantajoso para o motorista.

  • Rodas de liga leve ajudam a valorizar o carro?

A resposta é sim. Quando você compra um carro, você geralmente é atraído pelo seu design, então se o carro tiver belas rodas de liga leve isso vai contar pontos a favor dele.

Roda Ford Focus (divulgação)

As rodas de liga leve podem ser de série ou compradas em lojas especializadas. Mas vale lembrar que instalar peças não originais em carros 0 km pode fazer com que o veículo perca a garantia. Se o carro for usado, na hora da revenda, um jogo de rodas novas assim como de pneus podem fazer com que o valor suba consideravelmente.

  • Como garantir a vida útil das rodas?

Fazendo as revisões periódicas que são recomendadas pelo manual do proprietário, e seguir as instruções de calibragem dos pneus para que as rodas não sofram avarias. Na hora de fazer o balanceamento, os pesos devem ser fixados por pressão na borda do aro. No caso das rodas de liga, por questão de estética, deve-se usar os chumbos tipo pastilha autoadesiva, colados no aro. É preciso limpar bem a área para evitar que saiam na primeira lavagem.

Roda Jeep Renegade (divulgação)

Caso você utilize algum tipo de solvente para tirar as sujeiras mais grossas e que não saíram na lavagem convencional, opte por fazer a limpeza com as rodas fora do carro, para que não haja danos aos componentes de suspensão e freios. Mesmo com as rodas fora do veículo, é importante enxaguar bastante para evitar que apareçam manchas. E lembre-se, ao trocar um pneu furado, em hipótese nenhuma suba na chave de roda para apertar um parafuso, faça esse processo apenas com as mãos.

  • De que são feitas as rodas de liga leve?

Em geral, são feitas de alumínio, titânio ou outro metal leve, o que garante uma modelagem mais fácil e inúmeras formas de criar desenhos inéditos e criativos. Mas em contrapartida, são mais fáceis de serem quebradas ou trincadas.

Roda Volkswagen Golf (divulgação)
  • Posso colocar um aro maior do que o original?

O recomendado é não. Até por que o carro foi projetado para utilizar aquele aro específico, e alterá-lo irá trazer problemas na suspensão e maior desgaste nos pneus. O que você pode fazer é respeitar o aro indicado pela montadora e trocar uma roda de um desenho por outro, mas sempre respeitando as medidas originais.

Roda Ford (divulgação)
  • Posso trocar as rodas originais por outras esportivas?

Como mencionado acima, a troca pode ser feita desde que sejam respeitados alguns fatores:

  • Verificar se o tamanho da roda nova é idêntico ao do modelo original;
  • O conjunto roda/pneu não deve ultrapassar os limites externos do para-lamas, portanto, se aumentar o aro será preciso diminuir o perfil do pneu;
  • Analise o conforto. Rodas grandes com pneus de perfil baixo absorvem menos os impactos e podem gerar desconforto, principalmente em longas viagens;
  • Os parafusos das rodas originais são diferentes dos parafusos das rodas esportivas. Fique atento as medidas e se possível, coloque parafusos antifurto;
  • Verifique com a sua seguradora se é possível incluir as novas rodas à apólice de seguros;
  • E o mais importante. Fique atento ao Código de Trânsito Brasileiro, se o conjunto roda/pneus ultrapassar os limites horizontais dos para-lamas dianteiros e traseiros o motorista pode ser multado em R$ 127,69 e ter o veículo retido
Mercedes-Benz Classe A (divulgação)
  • Posso instalar rodas maiores no eixo traseiro?

Isso depende. Se for por questão puramente estética, a troca e o alto custo embutido não compensa a troca. Mas se o veículo já for preparado para tal finalidade e precisa ou pode ter uma roda de aro diferente em um dos eixos, valem algumas recomendações:

Roda (divulgação)
  • Cuidado ao instalar rodas maiores no eixo traseiro. Isso pode desequilibrar o peso total do carro, além de agravar em derrapagem ou até mesmo aquaplanagem – em pisos molhados.
  • Carros mais baratos tendem a ser menos potentes. Sendo assim, se rodas maiores forem instaladas no eixo traseiro de um carro popular, pode haver perca de potência, e ainda pode fazer com que o carro gaste mais combustível.
  • O tempo de troca fica menor do que rodas convencionais e de tamanho adequado.
  • Verifique sempre se a calibragem dos pneus está correta, principalmente os pneus maiores. Verifique se os sulcos estão dentro do limite de segurança estabelecido pela legislação brasileira, de 1,6 mm de profundidade, do contrário, o motorista estará suscetível à infração grave, com multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira.

Siga a Jocar

Acompanhe nossas redes sociais!

Video

Fusíveis automotivos - para que servem e como trocar